quarta-feira, 1 de outubro de 2008

O Baixo Astral

"Enquanto dura o baixo astral, perco tudo. As coisas
caem dos meus bolsos e da minha memória: perco
chaves, canetas, dinheiro, documentos, nomes,
caras, palavras. Eu não sei se será mau-olhado. Pura
casualidade, mas às vezes a depressão demora ir embora e
eu ando de perda em perda, perco o que encontro, não
encontro o que busco, e sinto medo de que numa dessas
distrações acabe deixando a vida cair."
GALEANO, Eduardo. O Livro dos Abraços. Porto Alegre-RS: L&PM POCKET, 2008.

Um comentário:

Mari Mendes disse...

Às vezes eu me sinto exatamente assim! xD