sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Chega um ponto que a convivência consigo mesmo se torna insuportável.



"Minha alma esta cansada de minha vida"

Chega um ponto que a convivência consigo mesmo se torna insuportável.

A garota caminha suavemente sobre as águas do mar... Seu semblante calmo e sua voz doce transmitem a todos que a cercam uma falsa tranqüilidade.
Na verdade,  em seu íntimo, um turbilhão de emoções fervilham de forma desordenada, fugindo ao seu controle.
Oras está feliz, ora o desânimo e a desmotivação tomam conta de sua alma. Ela teme que deixe sua vida cair junto com suas lágrimas. 
Ora sente como se dentro dela um vulcão adormecido a anos entrasse em erupção, e uma grande irritação toma conta de todo seu corpo. E então faz e diz coisas sem pensar, coisas que não passam pelo crivo da razão tampouco do sentimento. E neste momento tudo o que ela quer é se afastar de si.
Chega uma hora que a convivência consigo mesmo se torna insuportável, mas não há pra onde fugir.
Os calmantes não fazem mais efeito, o sono alivia, mas logo vem o despertar e tudo volta a ser como era antes.
E esta montanha russa emocional na qual  se encontra, acaba afetando a todos que a cerca, principalmente a quem mais ama , e que a ela faz tanto bem.
Quando isso acontece, ela tem vontade de morrer pois não há dor pior do que esta.
Muitas vezes, tem a sensação de que a qualquer momento vai afogar-se dentro de si.
Outras vezes sente que esta presa em um escafandro em meio a um vasto oceano, onde luta com todas suas forças para escapar, mas não consegue.
E o medo começa a devorá-la pouco a pouco.
O medo de que em meio a este mar de mágoa, tristeza, dúvidas e paranóias irracionais, irritação, as pessoas se cansem e resolvam partir. Principalmente a que mais importa em sua vida. Só de pensar em perdê-la sente o gosto amargo da tristeza em seus lábios. Nunca havia sentido algo tão forte.
Ela quer sentir novamente a paz e a calma. Quer fazer o bem e demonstrar todo o amor que sente à aquele que tanto ama. Quer novamente ter o controle e entender o que acontece ficar bem.Quer amanhecer, olhar seu reflexo no espelho e se reconhecer, recuperar sua essência.
Mas no momento seu único desejo é depreender-se de si.

Andréia M.M.Lopes

5 comentários:

gui grape disse...

Calma morena...
"tudo vale a pena quando a alma não é pequena" Já dizia o grande Pessoa
A sua alem de grande é vistosa!

Thiago Domingues disse...

Oi Andréia!
Força e esperança nas palavras e o objetivo será além do que cabe nelas!
Gostei daqui!
Voltarei!..
\o/

Kayauê disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kayauê disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kayauê disse...

Acho que "minha alma tb está cansada da minha vida."
Qdo o corpo fica doente é sinal que existe algo errado e q precisa ser mudado, curado. Pq com a alma deveria ser diferente? A dor nunca é boa, o vazio nunca é bom, mas o que esses sentimentos podem trazer já é uma outra estória, e isso depende da forma como cada um escolhe ver. Bj e gostei de receber seu email